jump to navigation

BARBOSA E LULA CONVOCAM SELEÇÃO BRASILEIRA DO PAN RIO 2007 maio 17, 2007

Posted by ricardo14 in brasileiros, Fiba, Leandrinho, Nenê.
3 comments
Rio de Janeiro – Os técnicos Antonio Carlos Barbosa (feminino) e Lula Ferreira (masculino) convocaram nesta quinta-feira, na sede da CBB, no Rio de Janeiro, as seleções brasileiras de basquete, patrocinadas pela Eletrobrás, que irão disputar os 15º Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro. A seleção feminina se apresenta dia 10 de junho no Rio de Janeiro, enquanto a equipe masculina se apresenta no dia 24 de junho em São Paulo.
SELEÇÃO FEMININA
NOME – POSIÇÃO – IDADE – ALTURA – CLUBE
Ísis Nascimento – Pivô – 23 anos – 2,02m – Catanduva (SP)
Érika Cristina de Souza – Pivô – 25 anos – 1,97m – Connecticut Sun (WNBA)
Cíntia Silva dos Santos – Pivô – 31 anos – 1,94m – Le Schio Club (Itália)
Jucimara Dantas – Pivô – 29 anos – 1,93m – Madalloni (Itália)
Kátia Regina dos Santos – Pivô – 23 anos – 1,93m – CD Ensino (Espanha)
Kelly da Silva Santos – Pivô – 27 anos – 1,92m
Graziane de Jesus Coelho – Pivô – 24 anos – 1,91m – Penta Faenza (Itália)
Franciele Nascimento – Pivô 19 anos – 1,87m – Divino/COC/Jundiaí (SP)
Soeli Garvão Zakrzeski (Êga) – Pivô – 29 anos – 1,87m – Unimed/Americana (SP)
Tatiana Castro Conceição – Ala – 25 anos – 1,85m – Unimed/Americana (SP)
Izabela Morais de Andrade – Ala – 20 anos – 1,82m – Unimed/Ourinhos(SP)
Janeth Arcain – Ala – 38 anos – 1,82m
Iziane Castro Marques – Ala – 24 anos – 1,81m – Settle Storm (WNBA)
Micaela Martins Jacintho – Ala – 27 anos – 1,80m – TTT Riga (Letônia)
Patrícia de Oliveira Ferreira (Chuca) – Ala – 28 anos – 1,80m – Unimed/Ourinhos (SP)
Tayara Maria de Jesus Pesenti – Ala – 24 anos – 1,80m – São Caetano (SP)
Jaqueline de Paula Silvestre – Ala/Armadora – 21 anos – 1,78m – Divino/COC/Jundiaí (SP)
Karen Gustavo Rocha – Ala/Armadora – 23 anos – 1,77m – Unimed/Ourinhos (SP)
Palmira Cristina Marçal – Ala/Armadora – 23 anos – 1,76m – C.B. Olesa (Espanha)
Vivian Cristina Lopes – Ala/Armadora – 31 anos – 1,74m – Catanduva (SP)
Adriana Moisés Pinto – Armadora – 28 anos – 1,70m – Phoenix Mercury (WNBA)
Média de idade: 25,8 anos
Média de altura: 1,85m
COMISSÃO TÉCNICA
Coordenador: Edílson França
Técnico: Antonio Carlos Barbosa
Assistente Técnico: César Máximo Guidetti
Preparador Físico: João Antonio Nunes
Médico: Dr. Carlos Eduardo Marques
Fisioterapeutas: Flávia Rocco e Ana Beatriz Santos
     
SELEÇÃO MASCULINA
NOME – POSIÇÃO – IDADE – ALTURA – CLUBE
Anderson Varejão – Pivô – 2,11m – 24 anos – Cleveland Cavaliers (NBA)
Caio Torres – Pivô – 2,11m – 19 anos – MMT Estudiantes (Espanha)
Maybyner Hilário (Nenê) – Pivô – 2,11m – 24 anos – Denver Nuggets (NBA)
Murilo Becker da Rosa – Pivô – 2,11m – 24 anos – Unimed/Franca (SP)
Rafael “Baby” Araújo – Pivô – 2,11m – 26 anos – Utah Jazz (NBA)
Tiago Splitter – Pivô – 2,11m – 22 anos – Tau Cerâmica (Espanha)
Paulo Sérgio Prestes – Pivô – 2,08m – 19 anos – Clínicas Rincon Axarquia (Espanha)
Marcus Vinicius Vieira (Marquinhos) – Ala – 22 anos – New Orleans Hornets (NBA)
João Paulo Batista – Pivô – 25 anos – 2,06m – Lietuvos Rytas (Lituânia)
Rafael Hettsheimeir – Pivô – 2,05m – 20 anos – Akkasvayu (Espanha)
Guilherme Teichmann – Ala/Pivô – 2,04m – 23 anos – Winner/Limeira (SP)
Guilherme Giovannoni – Ala – 2,04m – 26 anos – Bologna (Itália)
Marcus Toledo – Ala – 2,03m – 20 anos – CB Tarragona 2016 (Espanha)
Marcelinho Machado – Ala/Armador – 32 anos – 2,00m – Zalgiris Kauras (Lituânia)
Jhonatan dos Santos – Ala – 1,97m – 20 anos – Paulistano/Dix Amico (SP)
Leandro Barbosa – Ala/Armador – 1,92m – 24 anos – Phoenix Suns (NBA)
Alex Garcia – Ala/Armador – 1,91m – 27 anos – Universo/BRB (DF)
Marcelo Huertas – Armador – 1,91m – 23 anos – Joventud de Badalona (Espana)
Welington dos Santos (Nezinho) – Armador – 1,86m – 26 anos – Universo/BRB (DF)
Média de idade: 23,4 anos
Média de altura: 2,03m
COMISSÃO TÉCNICA
Coordenador: Maurício Fregonesi
Técnico: Aluísio Ferreira (Lula)
Assistentes Técnicos: Flávio Davis Furtado e Jorge Guerra (Guerrinha)
Preparador Físico: Clóvis Alberto Franciscon
Médicos: Dr. Carlos Vicente Andreoli
Fisioterapeuta: Felipe Tadiello
Mordomo: Marco Antonio de Andrade
A seleção feminina está no grupo “A” e estréia contra a Jamaica no dia 20 de julho. Depois o Brasil enfrenta o México (dia 21) e o Canadá (22). As brasileiras conquistaram três medalhas de ouro, três de prata e três de bronze em 12 edições disputadas.
A equipe masculina, que também está no grupo “A”, terá como primeiro adversário as Ilhas Virgens no dia 25 de julho. O Brasil joga depois contra o Canadá (dia 26) e Porto Rico (27). Os brasileiros conquistaram quatro medalhas de ouro, duas de prata e seis de bronze em 14 edições dos Jogos. O basquete é o recordista de medalhas de ouro (7) e no geral (21) nos esportes coletivos.
De acordo com o regulamento da competição, na primeira fase, as seleções jogam entre si, nos seus respectivos grupos. Os dois primeiros colocados de cada grupo se classificam para a semifinal, no sistema de cruzamento olímpico: 1º A x 2º B e 1º B x 2º A. Os vencedores disputam a medalha de ouro, enquanto os perdedores disputam a medalha de bronze.
Anúncios

Sobre a noite de terça-feira abril 25, 2007

Posted by Adriano Albuquerque in Chicago Bulls, curiosidades, Detroit Pistons, draft, Fiba, Kirk Hinrich, Leandrinho, Los Angeles Lakers, Miami Heat, New Jersey Nets, Pequim-2008, Phoenix Suns, primeira rodada, Seattle SuperSonics, Toronto Raptors.
add a comment

– O primeiro jogo da noite, entre Toronto Raptors e New Jersey Nets, foi o melhor jogo da noite – e o pior também: no primeiro tempo, parecia que nenhum dos dois times conseguia fazer cestas. Ambos erravam demais. New Jersey teve chances de vencer até o final, e acho difícil que perca esta série; é um time mais experiente e confiante, enquanto o Raptors por muitas vezes força arremessos e se esquece de suas jogadas e suas forças. Embora o Vince Carter continue jogando medroso, sem invadir o garrafão e forçando muitos arremessos de média distância e passes, o Jason Kidd compensa isso de forma destemida, e o Bostjan Nachbar mostrou também muito mais confiança e força. Em Nova Jérsei, vai ser bem difícil de Toronto vencer, embora os dois times sejam bastante equilibrados. É uma série interessante.

– O Chicago Bulls fez uma partida quase perfeita contra o Miami Heat. Se no primeiro jogo o Kirk Hinrich foi o elo fraco, desta vez ele jogou com muita raça e a mão certeira, e aí ficou difícil para o Miami. É incrível como este time de Chicago é montado bem para explorar as fraquezas do Heat, isso é claro desde o primeiro jogo da temporada. Ben Wallace cresceu exatamente no momento em que se esperava dele. Pelo Miami, o Dwyane Wade está jogando mais cauteloso que o normal. Ele ainda tenta alguns chutes impossíveis, mas a quantidade diminuiu. Ele não parece muito confiante no braço esquerdo ainda. O Heat precisa atacar mais através do Shaq e precisa mais ainda que seus demais jogadores contribuam. Acho que de repente valeria a pena lançar o Jason Kapono de volta ao time titular pra abrir mais a defesa do Chicago e dar mais espaço para o O’Neal e até para o próprio Wade. Em Miami, os jogos vão ser bem diferentes.

– O Suns es-cu-la-chou o Lakers e o Leandrinho foi incrível. Começou o jogo cometendo duas faltas em seus dois primeiros lances e errou seus três primeiros arremessos, e em seguida marcou 17 pontos no primeiro tempo! Ele estava imparável, demonstrou toda a velocidade que tanto se fala dele. Depois, Nash, Stoudemire e companhia trataram de destroçar o Lakers de uma vez, e o segundo tempo foi um passeio. Os angelinos estavam visivelmente frustrados e sabiam que não tinham chances de vencer. Os dois jogos em L.A. vão ser muito interessantes, porque o Suns é claramente superior ao Lakers, mas o Kobe e o Phil Jackson têm orgulhos fortes, vão tentar evitar a varrida a qualquer preço. Embora esta série até agora tenha sido pacífica, no Staples Center o Lakers vai apelar pra violência o quanto puder pra tentar provocar o Suns e conseguir suspensões, como aconteceu no ano passado. No segundo tempo de ontem, isso já começou, com uma falta dura do Lamar Odom no Steve Nash ainda na defesa do Phoenix.

E pra completar, alguns links da web:

– Este post tenta explicar um pouco da ciência complicada do draft, das equipes que entregam partidas para ficar nas primeiras posições, e sobre como o sucesso de um jogador depende mais de situação que de sua posição ou talento.

– Já esta matéria do site do Boston Celtics explica as probabilidades de cada time de conseguir cada escolha. Que matemática complicada…

– Depois de trair seus jogadores e colocar neles a culpa de uma temporada ruim, Bob Hill é justamente demitido pelo Seattle SuperSonics. O péssimo gerente geral Rick Sund não foi demitido, mas foi rebaixado a consultor, o que já é uma melhora. Agora, se isso quer dizer que o Sonics vai melhorar e buscar vitórias no ano que vem, é um mistério. Parece cada vez mais claro que o foco é sair de Seattle.

– Quem disse que o Detroit Pistons não é divertido? Com o Rasheed Wallace, qualquer time é hilário. Sem relações com o Nenê, claro.

– Os caras são suspensos na NBA, vão jogar na Europa, mas continuam sendo pegos com maconha. A pergunta: se esse teste de doping tivesse dado positivo em Amsterdã, ele mereceria ser suspenso?

Fiba e NBA vão cooperar com o Comitê Olímpico de Pequim para fazer as apresentações de entretenimento das Olimpíadas de 2008.