jump to navigation

Um adeus humilhante abril 29, 2007

Posted by Adriano Albuquerque in Ben Wallace, Chicago Bulls, Detroit Pistons, Leandrinho, Los Angeles Lakers, Miami Heat, Phoenix Suns, primeira rodada.
1 comment so far

Ser eliminado na primeira rodada dos playoffs já é ruim demais. Ser varrido já é humilhante. Mas a atuação do Miami Heat no último quarto da derrota por 92 a 79 para o Chicago Bulls, que os tirou da disputa pelo bicampeonato, foi patética. A equipe parecia cansada do esforço nos três quartos anteriores e sem resposta nenhuma para a boa defesa e ataque do Bulls. Muitos erros, muitas decisões mal-feitas no ataque. Foram seis desperdícios de posse no período final, cinco em passes errados. Wade acertou seus lances livres desta vez, mas Shaq e Mourning erraram demais – cada um tentou sete e só Alonzo acertou dois.

Nos dois minutos finais, atrás por nove pontos, o time sequer se esforçou. Sequer lutou. Deixou Chicago controlar a bola e gastar o relógio como se a diferença fosse de 20. Vocês são os campeões! Cadê o orgulho, a luta?? Foi ridículo.

É compreensível que o time está exausto da arrancada rumo aos playoffs e Wade está visivelmente abaixo de 100% – ele provavelmente está abaixo de 50%. Mas sair desta forma é triste e diminui o brilho da conquista do ano passado.

Acabou que a varrida do Pistons sobre Orlando não foi só útil – foi extremamente necessária. Detroit vai pegar um time jogando um basquete quase perfeito e embalado, nem um pouco cansado por sua série surpreendentemente curta. Será uma série sem favoritos e talvez a mais intrigante e empolgante dos playoffs. Por um lado, Detroit tem a experiência e a vantagem no mando de quadra. Por outro, Chicago tem a juventude e velocidade e uma atitude destemida. O fiel da balança: Ben Wallace. Qual efeito ele terá nesta série? Será que a emoção de enfrentar seus ex-colegas vai tirá-lo de seu jogo, ou o sentimento de não ter sido valorizado o suficiente por Joe Dumars vai motivá-lo a jogar tão bem quanto contra o Heat? Eu não vou apontar nenhum favorito.

Lakers x Suns rolando já, bastante equilibrado, 43 a 40 para Phoenix no meio do segundo quarto. O Lakers descobriu como parar o Leandrinho, pelo menos até agora, e o brazuca não está sendo um fator na partida até agora, já voltou para o banco.

Jogos 3 em andamento abril 27, 2007

Posted by Adriano Albuquerque in Ben Wallace, Chicago Bulls, Miami Heat, New Jersey Nets, Shaquille O'Neal, Toronto Raptors, Vince Carter.
add a comment

O New Jersey Nets está dominando o Toronto Raptors em casa, vencendo por 79 a 68. Eu não estou vendo esse jogo, mas aparentemente o Vince Carter está finalmente mostrando mais agressividade e indo mais ao garrafão. Pelo visto, estava mesmo intimidado contra sua ex-torcida.

Em Miami, o Chicago Bulls fez um belo primeiro quarto e estava vencendo por 29 a 23, mas o Heat virou no segundo quarto e está vencendo por 42 a 37. Uma coisa que estou notando é que o Ben Wallace está extra-motivado para esta série. É como se ele estivesse brigando para provar que o ano passado foi uma aberração na sua carreira; aquela performance na série final da Conferência Leste, com exceção do jogo 5, foi ridícula. Ben está tentando mostrar que foi a mudança do esquema de Flip Saunders que abriu a defesa do Pistons e o deixou mais vulnerável, assim como a contusão que atrapalhou Rasheed Wallace. A arbitragem está ajudando; está marcando todas as faltas que nunca marcam contra Shaquille O’Neal, além de cair no teatro de Wallace (teve uma falta em que ele praticamente se jogou no chão). Mas é inegável que ele está jogando com muito mais vontade.

Nada disso adiantou: o Shaq agora já se adaptou ao jogo dos árbitros e já está jogando bem contra o Wallace.

Em Miami, as estrelas comparecem ao ginásio como em Los Angeles, e hoje a TV já mostrou Scottie Pippen, Gloria Estefan e Dan Marino…

Antes de partir, só quero deixar uma explicação sobre a notícia do Jeffrey Jordan, filho do Michael Jordan. Ele vai para Illinois, mas não é um recruta importante. Ele será “walk-on”, ou seja, um dos alunos universitários que tentam vaga no time de basquete através de testes. Isso significa que ele não está nem garantido entre os reservas da universidade. Alguns podem achar paralelos com a famosa história do Michael não ter entrado no time de sua escola, mas a comparação seria errada, pois MJ era muito mais novo quando foi rejeitado e teve tempo para melhorar. Esperar que Jeffrey seja sombra de seu pai é uma expectativa injusta e irreal. Acho inclusive que ele não vai seguir o caminho de jogador de basquete.