jump to navigation

Pick-and-Roll, quarta-feira maio 24, 2007

Posted by Adriano Albuquerque in draft, Pick-and-Roll.
add a comment

Pick: Portland obteve a primeira escolha do draft na loteria de terça-feira.

Vejamos. O Blazers tem uma equipe promissora, que conta com os armadores Jarrett Jack e Sergio Rodríguez, os alas-armadores Brandon Roy e Martell Webster, os alas Darius Miles, Ime Udoka e Travis Outlaw, o ala-pivô Zach Randolph e os pivôs LaMarcus Aldridge e Joel Przybilla. Com um pouco mais de experiência, este grupo pode chegar longe. O Aldridge pode tanto jogar de pivô como ser movido para ala-pivô.

A posição mais fraca é a de ala. Udoka é apenas decente, e foi o titular neste ano mais por necessidade, por causa de uma operação que deixou Miles de fora por todo o ano. O Outlaw também não é grande defensor, é mais um jogador de banco mesmo. O Miles só criou confusão e controvérsia desde que chegou ao Portland, período aliás que coincide com o tempo em que o clube não chega à pós-temporada. E pensando ainda mais longe, Miles jamais foi aos playoffs em sua carreira, com passagens por L.A. Clippers e Cleveland Cavaliers.

Randolph é um jogador calibre All-Star que jogou bem neste ano e pareceu deixar de lado sua rixa com o técnico Nate McMillan. Porém, quem garante que o bom comportamento vai continuar? E Randolph passou por cirurgia de microfratura, o que tirou bastante de sua velocidade, e com Rodríguez no time, ele poderia atrapalhar um pouco se a equipe resolvesse correr um pouco mais. Em uma troca, Randolph pode trazer bons jogadores para Portland.

As duas opções principais do draft são o ala Kevin Durant, que deve ser um 3 na NBA, e o pivô Greg Oden. Se o time não mudar nada no atual elenco, suponho que Durant seria a resposta para sua maior necessidade, a posição 3. Se o gerente geral Kevin Pritchard conseguir negociar Miles e Randolph, porém, o time precisará de um pivô para passar Aldridge à posição 4, e Oden seria a resposta ideal. E aí entra o trauma do Portland: da última vez que tiveram uma posição tão boa no draft, selecionaram por necessidade, e deixaram passar Michael Jordan para escolher Sam Bowie, e todos sabemos no que isso deu.

Roll: Agora que sabemos que é o Blazers que escolherá primeiro, quem eles devem escolher: Oden ou Durant?

E o Boston e Memphis se f… maio 22, 2007

Posted by Adriano Albuquerque in draft.
2 comments

Se existe justiça neste mundo, foi o que aconteceu nesta terça-feira em Seacaucus, Nova Jérsei, quando Boston e Memphis caíram fora do Top 3 do draft. OK, então Atlanta também entregou jogos, e Seattle talvez tenha perdido alguns jogos de propósito no final, mas Memphis e Boston passaram a temporada INTEIRA jogando de sacanagem para pegar Greg Oden ou Kevin Durant. O técnico do Boston, Doc Rivers, teve de chegar ao cúmulo de dizer em entrevista coletiva que não estava entregando o jogo após fazê-lo descaradamente em um jogo contra o Charlotte Bobcats.

Ou talvez, aquela velha teoria que a NBA “ajeita” os resultados do draft faz sentido, e a liga fez isso de propósito para mostrar que perder jogos não adianta, não garante primeira escolha. Mas eu duvido. No final das contas, prefiro acreditar em justiça divina.

O Blazers, com Greg Oden ou Kevin Durant, mais Brandon Roy, LaMarcus Aldridge, Zach Randolph, Jarrett Jack, Sergio Rodríguez e Martell Webster? É um time assustador. Se eles se mudassem pra Conferência Leste, podiam chegar às finais de conferência já em 2007-08! Mas como isso não vai acontecer, eles vão é penar para chegar aos playoffs, mas já melhoram bastante suas chances. Se fosse eu, pegava o Durant e mandava o Darius Miles embora de uma vez. Ou ainda, pegava o Oden e mandava ambos Randolph e Miles embora em trocas pra obter jogadores mais experientes para as alas.

O Sonics provavelmente vai manter a escolha e pegar quem sobrar entre Oden e Durant. Tão certos. Só não sei se isso vai ser suficiente para conseguir um ginásio novo, e acho injusto que eles consigam, embora o governo do estado de Washington esteja sendo contraditório ao negar uma arena ao time após financiar os estádios novos dos times de beisebol e futebol americano.

Atlanta deveria juntar suas duas escolhas e arrumar um armador experiente para ajudar o time. Que tal oferecer as duas escolhas pelo Mike Bibby? Ou pelo Jason Kidd? O time daria um salto enorme de qualidade. talvez eles nem precisem mandar as duas escolhas, podem jogar só a terceira escolha do draft e guardar a 11ª pra pegar um pivô tipo Roy Hibbert ou o próprio Tiago Splitter!

Memphis e Boston? Vão pegar bons jogadores, mas no estado atual desses times, acho que não vão muito longe. Bem feito, quem mandou entregar jogos? E o Celtics ainda está preso ao Doc Rivers por mais um ano..

Gigante africano de 2,23 m retira seu nome do Draft e decide retornar para UConn abril 30, 2007

Posted by ricardo14 in curiosidades, draft.
add a comment

O pivô Hasheem Thabeet, gigante de 2,23 m e novato na Universidade de Connecticut na temporada passada, retirou seu nome da lista do Draft da NBA de 2007.

Aconselhado pelo seu técnico na universidade, Jim Calhoun, o pivô natural de Dar es Salaam, na Tanzânia, Africa, decidiu ficar na escola.

“Estou bastante entusiasmado em voltar e jogar meu segundo ano em Connecticut.” afirmou o jogador. ” Quero muito dar continuidade `a minha educação. Nosso time tem treinado bastante desde a nossa eliminação e vamos continuar treinando bastante para melhorar cada vez mais e ter uma ótima temporada no ano que vem.” completou.

De acordo com o técnico, seria interessante para o jogador se ele pudesse permanecer na escola. A maioria dos especialistas em drafts acreditavam que Thabeet seria escolhido no fim da primeira loteria ou no começo da segunda.

Na temporada de 06′-07′, o pivô novato registrou médias de 6.2 pontos e 6.4 rebotes. Além de ter totalizado 118 tocos na temporada, Thabeet ainda foi selecionado para o time dos melhores novatos na Conferência Leste.

07aicmbb_128.jpg Thabeet bloqueando um arremesso durante um jogo amistoso. O africano deu 118 tocos na temporada 06’07’ da NCAA.

Sobre a noite de terça-feira abril 25, 2007

Posted by Adriano Albuquerque in Chicago Bulls, curiosidades, Detroit Pistons, draft, Fiba, Kirk Hinrich, Leandrinho, Los Angeles Lakers, Miami Heat, New Jersey Nets, Pequim-2008, Phoenix Suns, primeira rodada, Seattle SuperSonics, Toronto Raptors.
add a comment

– O primeiro jogo da noite, entre Toronto Raptors e New Jersey Nets, foi o melhor jogo da noite – e o pior também: no primeiro tempo, parecia que nenhum dos dois times conseguia fazer cestas. Ambos erravam demais. New Jersey teve chances de vencer até o final, e acho difícil que perca esta série; é um time mais experiente e confiante, enquanto o Raptors por muitas vezes força arremessos e se esquece de suas jogadas e suas forças. Embora o Vince Carter continue jogando medroso, sem invadir o garrafão e forçando muitos arremessos de média distância e passes, o Jason Kidd compensa isso de forma destemida, e o Bostjan Nachbar mostrou também muito mais confiança e força. Em Nova Jérsei, vai ser bem difícil de Toronto vencer, embora os dois times sejam bastante equilibrados. É uma série interessante.

– O Chicago Bulls fez uma partida quase perfeita contra o Miami Heat. Se no primeiro jogo o Kirk Hinrich foi o elo fraco, desta vez ele jogou com muita raça e a mão certeira, e aí ficou difícil para o Miami. É incrível como este time de Chicago é montado bem para explorar as fraquezas do Heat, isso é claro desde o primeiro jogo da temporada. Ben Wallace cresceu exatamente no momento em que se esperava dele. Pelo Miami, o Dwyane Wade está jogando mais cauteloso que o normal. Ele ainda tenta alguns chutes impossíveis, mas a quantidade diminuiu. Ele não parece muito confiante no braço esquerdo ainda. O Heat precisa atacar mais através do Shaq e precisa mais ainda que seus demais jogadores contribuam. Acho que de repente valeria a pena lançar o Jason Kapono de volta ao time titular pra abrir mais a defesa do Chicago e dar mais espaço para o O’Neal e até para o próprio Wade. Em Miami, os jogos vão ser bem diferentes.

– O Suns es-cu-la-chou o Lakers e o Leandrinho foi incrível. Começou o jogo cometendo duas faltas em seus dois primeiros lances e errou seus três primeiros arremessos, e em seguida marcou 17 pontos no primeiro tempo! Ele estava imparável, demonstrou toda a velocidade que tanto se fala dele. Depois, Nash, Stoudemire e companhia trataram de destroçar o Lakers de uma vez, e o segundo tempo foi um passeio. Os angelinos estavam visivelmente frustrados e sabiam que não tinham chances de vencer. Os dois jogos em L.A. vão ser muito interessantes, porque o Suns é claramente superior ao Lakers, mas o Kobe e o Phil Jackson têm orgulhos fortes, vão tentar evitar a varrida a qualquer preço. Embora esta série até agora tenha sido pacífica, no Staples Center o Lakers vai apelar pra violência o quanto puder pra tentar provocar o Suns e conseguir suspensões, como aconteceu no ano passado. No segundo tempo de ontem, isso já começou, com uma falta dura do Lamar Odom no Steve Nash ainda na defesa do Phoenix.

E pra completar, alguns links da web:

– Este post tenta explicar um pouco da ciência complicada do draft, das equipes que entregam partidas para ficar nas primeiras posições, e sobre como o sucesso de um jogador depende mais de situação que de sua posição ou talento.

– Já esta matéria do site do Boston Celtics explica as probabilidades de cada time de conseguir cada escolha. Que matemática complicada…

– Depois de trair seus jogadores e colocar neles a culpa de uma temporada ruim, Bob Hill é justamente demitido pelo Seattle SuperSonics. O péssimo gerente geral Rick Sund não foi demitido, mas foi rebaixado a consultor, o que já é uma melhora. Agora, se isso quer dizer que o Sonics vai melhorar e buscar vitórias no ano que vem, é um mistério. Parece cada vez mais claro que o foco é sair de Seattle.

– Quem disse que o Detroit Pistons não é divertido? Com o Rasheed Wallace, qualquer time é hilário. Sem relações com o Nenê, claro.

– Os caras são suspensos na NBA, vão jogar na Europa, mas continuam sendo pegos com maconha. A pergunta: se esse teste de doping tivesse dado positivo em Amsterdã, ele mereceria ser suspenso?

Fiba e NBA vão cooperar com o Comitê Olímpico de Pequim para fazer as apresentações de entretenimento das Olimpíadas de 2008.