jump to navigation

BARBOSA E LULA CONVOCAM SELEÇÃO BRASILEIRA DO PAN RIO 2007 maio 17, 2007

Posted by ricardo14 in brasileiros, Fiba, Leandrinho, Nenê.
3 comments
Rio de Janeiro – Os técnicos Antonio Carlos Barbosa (feminino) e Lula Ferreira (masculino) convocaram nesta quinta-feira, na sede da CBB, no Rio de Janeiro, as seleções brasileiras de basquete, patrocinadas pela Eletrobrás, que irão disputar os 15º Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro. A seleção feminina se apresenta dia 10 de junho no Rio de Janeiro, enquanto a equipe masculina se apresenta no dia 24 de junho em São Paulo.
SELEÇÃO FEMININA
NOME – POSIÇÃO – IDADE – ALTURA – CLUBE
Ísis Nascimento – Pivô – 23 anos – 2,02m – Catanduva (SP)
Érika Cristina de Souza – Pivô – 25 anos – 1,97m – Connecticut Sun (WNBA)
Cíntia Silva dos Santos – Pivô – 31 anos – 1,94m – Le Schio Club (Itália)
Jucimara Dantas – Pivô – 29 anos – 1,93m – Madalloni (Itália)
Kátia Regina dos Santos – Pivô – 23 anos – 1,93m – CD Ensino (Espanha)
Kelly da Silva Santos – Pivô – 27 anos – 1,92m
Graziane de Jesus Coelho – Pivô – 24 anos – 1,91m – Penta Faenza (Itália)
Franciele Nascimento – Pivô 19 anos – 1,87m – Divino/COC/Jundiaí (SP)
Soeli Garvão Zakrzeski (Êga) – Pivô – 29 anos – 1,87m – Unimed/Americana (SP)
Tatiana Castro Conceição – Ala – 25 anos – 1,85m – Unimed/Americana (SP)
Izabela Morais de Andrade – Ala – 20 anos – 1,82m – Unimed/Ourinhos(SP)
Janeth Arcain – Ala – 38 anos – 1,82m
Iziane Castro Marques – Ala – 24 anos – 1,81m – Settle Storm (WNBA)
Micaela Martins Jacintho – Ala – 27 anos – 1,80m – TTT Riga (Letônia)
Patrícia de Oliveira Ferreira (Chuca) – Ala – 28 anos – 1,80m – Unimed/Ourinhos (SP)
Tayara Maria de Jesus Pesenti – Ala – 24 anos – 1,80m – São Caetano (SP)
Jaqueline de Paula Silvestre – Ala/Armadora – 21 anos – 1,78m – Divino/COC/Jundiaí (SP)
Karen Gustavo Rocha – Ala/Armadora – 23 anos – 1,77m – Unimed/Ourinhos (SP)
Palmira Cristina Marçal – Ala/Armadora – 23 anos – 1,76m – C.B. Olesa (Espanha)
Vivian Cristina Lopes – Ala/Armadora – 31 anos – 1,74m – Catanduva (SP)
Adriana Moisés Pinto – Armadora – 28 anos – 1,70m – Phoenix Mercury (WNBA)
Média de idade: 25,8 anos
Média de altura: 1,85m
COMISSÃO TÉCNICA
Coordenador: Edílson França
Técnico: Antonio Carlos Barbosa
Assistente Técnico: César Máximo Guidetti
Preparador Físico: João Antonio Nunes
Médico: Dr. Carlos Eduardo Marques
Fisioterapeutas: Flávia Rocco e Ana Beatriz Santos
     
SELEÇÃO MASCULINA
NOME – POSIÇÃO – IDADE – ALTURA – CLUBE
Anderson Varejão – Pivô – 2,11m – 24 anos – Cleveland Cavaliers (NBA)
Caio Torres – Pivô – 2,11m – 19 anos – MMT Estudiantes (Espanha)
Maybyner Hilário (Nenê) – Pivô – 2,11m – 24 anos – Denver Nuggets (NBA)
Murilo Becker da Rosa – Pivô – 2,11m – 24 anos – Unimed/Franca (SP)
Rafael “Baby” Araújo – Pivô – 2,11m – 26 anos – Utah Jazz (NBA)
Tiago Splitter – Pivô – 2,11m – 22 anos – Tau Cerâmica (Espanha)
Paulo Sérgio Prestes – Pivô – 2,08m – 19 anos – Clínicas Rincon Axarquia (Espanha)
Marcus Vinicius Vieira (Marquinhos) – Ala – 22 anos – New Orleans Hornets (NBA)
João Paulo Batista – Pivô – 25 anos – 2,06m – Lietuvos Rytas (Lituânia)
Rafael Hettsheimeir – Pivô – 2,05m – 20 anos – Akkasvayu (Espanha)
Guilherme Teichmann – Ala/Pivô – 2,04m – 23 anos – Winner/Limeira (SP)
Guilherme Giovannoni – Ala – 2,04m – 26 anos – Bologna (Itália)
Marcus Toledo – Ala – 2,03m – 20 anos – CB Tarragona 2016 (Espanha)
Marcelinho Machado – Ala/Armador – 32 anos – 2,00m – Zalgiris Kauras (Lituânia)
Jhonatan dos Santos – Ala – 1,97m – 20 anos – Paulistano/Dix Amico (SP)
Leandro Barbosa – Ala/Armador – 1,92m – 24 anos – Phoenix Suns (NBA)
Alex Garcia – Ala/Armador – 1,91m – 27 anos – Universo/BRB (DF)
Marcelo Huertas – Armador – 1,91m – 23 anos – Joventud de Badalona (Espana)
Welington dos Santos (Nezinho) – Armador – 1,86m – 26 anos – Universo/BRB (DF)
Média de idade: 23,4 anos
Média de altura: 2,03m
COMISSÃO TÉCNICA
Coordenador: Maurício Fregonesi
Técnico: Aluísio Ferreira (Lula)
Assistentes Técnicos: Flávio Davis Furtado e Jorge Guerra (Guerrinha)
Preparador Físico: Clóvis Alberto Franciscon
Médicos: Dr. Carlos Vicente Andreoli
Fisioterapeuta: Felipe Tadiello
Mordomo: Marco Antonio de Andrade
A seleção feminina está no grupo “A” e estréia contra a Jamaica no dia 20 de julho. Depois o Brasil enfrenta o México (dia 21) e o Canadá (22). As brasileiras conquistaram três medalhas de ouro, três de prata e três de bronze em 12 edições disputadas.
A equipe masculina, que também está no grupo “A”, terá como primeiro adversário as Ilhas Virgens no dia 25 de julho. O Brasil joga depois contra o Canadá (dia 26) e Porto Rico (27). Os brasileiros conquistaram quatro medalhas de ouro, duas de prata e seis de bronze em 14 edições dos Jogos. O basquete é o recordista de medalhas de ouro (7) e no geral (21) nos esportes coletivos.
De acordo com o regulamento da competição, na primeira fase, as seleções jogam entre si, nos seus respectivos grupos. Os dois primeiros colocados de cada grupo se classificam para a semifinal, no sistema de cruzamento olímpico: 1º A x 2º B e 1º B x 2º A. Os vencedores disputam a medalha de ouro, enquanto os perdedores disputam a medalha de bronze.

Um adeus humilhante abril 29, 2007

Posted by Adriano Albuquerque in Ben Wallace, Chicago Bulls, Detroit Pistons, Leandrinho, Los Angeles Lakers, Miami Heat, Phoenix Suns, primeira rodada.
1 comment so far

Ser eliminado na primeira rodada dos playoffs já é ruim demais. Ser varrido já é humilhante. Mas a atuação do Miami Heat no último quarto da derrota por 92 a 79 para o Chicago Bulls, que os tirou da disputa pelo bicampeonato, foi patética. A equipe parecia cansada do esforço nos três quartos anteriores e sem resposta nenhuma para a boa defesa e ataque do Bulls. Muitos erros, muitas decisões mal-feitas no ataque. Foram seis desperdícios de posse no período final, cinco em passes errados. Wade acertou seus lances livres desta vez, mas Shaq e Mourning erraram demais – cada um tentou sete e só Alonzo acertou dois.

Nos dois minutos finais, atrás por nove pontos, o time sequer se esforçou. Sequer lutou. Deixou Chicago controlar a bola e gastar o relógio como se a diferença fosse de 20. Vocês são os campeões! Cadê o orgulho, a luta?? Foi ridículo.

É compreensível que o time está exausto da arrancada rumo aos playoffs e Wade está visivelmente abaixo de 100% – ele provavelmente está abaixo de 50%. Mas sair desta forma é triste e diminui o brilho da conquista do ano passado.

Acabou que a varrida do Pistons sobre Orlando não foi só útil – foi extremamente necessária. Detroit vai pegar um time jogando um basquete quase perfeito e embalado, nem um pouco cansado por sua série surpreendentemente curta. Será uma série sem favoritos e talvez a mais intrigante e empolgante dos playoffs. Por um lado, Detroit tem a experiência e a vantagem no mando de quadra. Por outro, Chicago tem a juventude e velocidade e uma atitude destemida. O fiel da balança: Ben Wallace. Qual efeito ele terá nesta série? Será que a emoção de enfrentar seus ex-colegas vai tirá-lo de seu jogo, ou o sentimento de não ter sido valorizado o suficiente por Joe Dumars vai motivá-lo a jogar tão bem quanto contra o Heat? Eu não vou apontar nenhum favorito.

Lakers x Suns rolando já, bastante equilibrado, 43 a 40 para Phoenix no meio do segundo quarto. O Lakers descobriu como parar o Leandrinho, pelo menos até agora, e o brazuca não está sendo um fator na partida até agora, já voltou para o banco.

Monta Ellis é o Mais Melhorado do Ano abril 26, 2007

Posted by Adriano Albuquerque in Golden State Warriors, Kevin Martin, Leandrinho, Monta Ellis, prêmios, Sacramento Kings.
add a comment

Foi anunciado agora nessa tarde que o armador Monta Ellis, do Golden State Warriors, foi o vencedor do prêmio de Jogador Mais Melhorado (Most Improved Player) da temporada nesta quinta-feira. Ele ganhou do Kevin Martin, do Sacramento Kings, por apenas três pontos. O Leandrinho também entrou na briga por este prêmio e recebeu 24 pontos, ficando em oitavo lugar na votação.

Parabéns ao Ellis, que continua atuando da mesma forma nos playoffs, ontem ele fez uma boa partida.

Sobre a noite de terça-feira abril 25, 2007

Posted by Adriano Albuquerque in Chicago Bulls, curiosidades, Detroit Pistons, draft, Fiba, Kirk Hinrich, Leandrinho, Los Angeles Lakers, Miami Heat, New Jersey Nets, Pequim-2008, Phoenix Suns, primeira rodada, Seattle SuperSonics, Toronto Raptors.
add a comment

– O primeiro jogo da noite, entre Toronto Raptors e New Jersey Nets, foi o melhor jogo da noite – e o pior também: no primeiro tempo, parecia que nenhum dos dois times conseguia fazer cestas. Ambos erravam demais. New Jersey teve chances de vencer até o final, e acho difícil que perca esta série; é um time mais experiente e confiante, enquanto o Raptors por muitas vezes força arremessos e se esquece de suas jogadas e suas forças. Embora o Vince Carter continue jogando medroso, sem invadir o garrafão e forçando muitos arremessos de média distância e passes, o Jason Kidd compensa isso de forma destemida, e o Bostjan Nachbar mostrou também muito mais confiança e força. Em Nova Jérsei, vai ser bem difícil de Toronto vencer, embora os dois times sejam bastante equilibrados. É uma série interessante.

– O Chicago Bulls fez uma partida quase perfeita contra o Miami Heat. Se no primeiro jogo o Kirk Hinrich foi o elo fraco, desta vez ele jogou com muita raça e a mão certeira, e aí ficou difícil para o Miami. É incrível como este time de Chicago é montado bem para explorar as fraquezas do Heat, isso é claro desde o primeiro jogo da temporada. Ben Wallace cresceu exatamente no momento em que se esperava dele. Pelo Miami, o Dwyane Wade está jogando mais cauteloso que o normal. Ele ainda tenta alguns chutes impossíveis, mas a quantidade diminuiu. Ele não parece muito confiante no braço esquerdo ainda. O Heat precisa atacar mais através do Shaq e precisa mais ainda que seus demais jogadores contribuam. Acho que de repente valeria a pena lançar o Jason Kapono de volta ao time titular pra abrir mais a defesa do Chicago e dar mais espaço para o O’Neal e até para o próprio Wade. Em Miami, os jogos vão ser bem diferentes.

– O Suns es-cu-la-chou o Lakers e o Leandrinho foi incrível. Começou o jogo cometendo duas faltas em seus dois primeiros lances e errou seus três primeiros arremessos, e em seguida marcou 17 pontos no primeiro tempo! Ele estava imparável, demonstrou toda a velocidade que tanto se fala dele. Depois, Nash, Stoudemire e companhia trataram de destroçar o Lakers de uma vez, e o segundo tempo foi um passeio. Os angelinos estavam visivelmente frustrados e sabiam que não tinham chances de vencer. Os dois jogos em L.A. vão ser muito interessantes, porque o Suns é claramente superior ao Lakers, mas o Kobe e o Phil Jackson têm orgulhos fortes, vão tentar evitar a varrida a qualquer preço. Embora esta série até agora tenha sido pacífica, no Staples Center o Lakers vai apelar pra violência o quanto puder pra tentar provocar o Suns e conseguir suspensões, como aconteceu no ano passado. No segundo tempo de ontem, isso já começou, com uma falta dura do Lamar Odom no Steve Nash ainda na defesa do Phoenix.

E pra completar, alguns links da web:

– Este post tenta explicar um pouco da ciência complicada do draft, das equipes que entregam partidas para ficar nas primeiras posições, e sobre como o sucesso de um jogador depende mais de situação que de sua posição ou talento.

– Já esta matéria do site do Boston Celtics explica as probabilidades de cada time de conseguir cada escolha. Que matemática complicada…

– Depois de trair seus jogadores e colocar neles a culpa de uma temporada ruim, Bob Hill é justamente demitido pelo Seattle SuperSonics. O péssimo gerente geral Rick Sund não foi demitido, mas foi rebaixado a consultor, o que já é uma melhora. Agora, se isso quer dizer que o Sonics vai melhorar e buscar vitórias no ano que vem, é um mistério. Parece cada vez mais claro que o foco é sair de Seattle.

– Quem disse que o Detroit Pistons não é divertido? Com o Rasheed Wallace, qualquer time é hilário. Sem relações com o Nenê, claro.

– Os caras são suspensos na NBA, vão jogar na Europa, mas continuam sendo pegos com maconha. A pergunta: se esse teste de doping tivesse dado positivo em Amsterdã, ele mereceria ser suspenso?

Fiba e NBA vão cooperar com o Comitê Olímpico de Pequim para fazer as apresentações de entretenimento das Olimpíadas de 2008.

Detroit vence Jogo 2 contra Orlando abril 23, 2007

Posted by Adriano Albuquerque in Detroit Pistons, Leandrinho, Orlando Magic, primeira rodada.
add a comment

O Detroit Pistons abriu 2 a 0 na série de playoffs contra o Orlando Magic e ganhou agora há pouco o Jogo 2 por 98 a 90. Foi mais ou menos a mesma sensação da primeira partida: o Pistons jogou suficiente pra vencer, o Magic não tinha suficiente pra surpreender. Orlando reduziu bastante as bolas perdidas, só 9, mas o Detroit foi ainda melhor e só errou 4 vezes, igualando um recorde em playoffs que já pertencia a eles.

Os cinco titulares do Detroit jogaram bem, com destaque pro Chauncey Billups assumindo o volante nos quartos finais como de costume,  o Antonio McDyess também entrou bem, e pelo Magic, dois dos três melhores jogadores foram justamente ex-Pistons, Grant Hill e Darko Milicic. Ou seja, só deu Detroit!

Falando sério, o Hedo Turkoglu fez 22 pontos e foi cestinha ao lado do Rip Hamilton. O Magic pode acabar roubando um desses jogos se o Pistons continuar jogando meia bomba. Mas o atual vice-campeão do Leste só perde essa série se der muita bobeira ou tiver uma lesão muito ruim no seu núcleo.

Houston x Utah em quadra, o Jazz já está à frente por 26 a 17 no final do primeiro quarto, com 15 pontos do Carlos Boozer! Ele está a fim de jogo.

Só um comentário: Leandrinho ganhou o Reserva do Ano, primeiro grande prêmio recebido por um brasileiro – mais, primeiro prêmio individual de importância de um sul-americano -, mas não consegue nem ser mencionado no Jornal Nacional. Uma pena, uma grande honra conquistada por um brazuca, mas que passa em branco no telejornal mais importante da comunicação de massa do país. Será que se ele ganhar o título eles mostram? Só resta rezar; a “toda poderosa” parecia ter amolecido para o basquete recentemente por causa do Pan, mas talvez seja exatamente por isso que ninguém fala nada: se não tem relação direta com o Pan, não interessa, e como vocês bem sabem, o Leandro não deve vir pro Rio.

Leandrinho premiado abril 23, 2007

Posted by Adriano Albuquerque in Leandrinho, prêmios.
add a comment

O Rodrigo Alves do GloboEsporte.com está noticiando que o Leandrinho vai receber o prêmio de Reserva do Ano nesta segunda-feira. A Globo.com deve transmitir ao vivo a entrevista coletiva do Leandro a partir de 14h30min.

Todo mundo já esperava que o brazuca levasse o troféu, e temos de pagar todos os tributos a este armador paulista que está elevando o basquete brasileiro novamente. Mais experiente e confiante, ele teve uma temporada incrível na NBA e tem de ser o centro do esquema da Seleção Brasileira na hora da Copa América.

Parabéns, Leandrinho!!

Foto: Lisa Blumenfeld/GettyImages/Yahoo.com

Leandrinho brilha mais que todo mundo abril 22, 2007

Posted by Adriano Albuquerque in Leandrinho, Los Angeles Lakers, Phoenix Suns, primeira rodada.
add a comment

O grande herói dos playoffs até agora? É o próprio brasileirinho, Leandrinho, do Phoenix Suns.

O jogo deste domingo entre Phoenix Suns e Los Angeles Lakers pareceu muito com os da série entre os dois times no ano passado: Lakers ditando o ritmo, dando espaço para os chutes de três e se concentrando em fechar os espaços no garrafão e buscar rebotes. A única diferença era que Kobe Bryant foi mais acionado que na série passada, mantendo o estilo de ataque da temporada regular.

Mas teve outra diferença: Leandrinho entrou em quadra e dominou o jogo, marcando 19 de seus 26 pontos no segundo tempo, com muita velocidade, precisão e coragem para improvisar e fazer jogadas. Foi uma atuação brilhante, e pelo menos por um jogo, Leandrinho foi o MVP do Suns. No final, Phoenix 95 a 87.

Foto: Barry Gossage/NBAE/GettyImages/NBA.com

Ele teve umas jogadas mágicas… No final do terceiro quarto, fez uma cesta de três com o relógio expirando, arremessou de bem longe e diminuiu a diferença pra três pontos indo para o último quarto. No período final, além das bandejas impossíveis e cestas de três, teve um lance em que ele driblou pelas costas, penetrou e, caindo, fez a assistência para o Amaré Stoudemire enterrar.

A impressão que ficou é que o Lakers fez o que queria, conseguiu jogar em meia-quadra, Kobe deu conta de sua marcação, o Suns foi mal nos chutes de longe… E mesmo assim, Phoenix venceu. Los Angeles certamente tem capacidade de vencer um jogo ou dois nesta série, mas esta não vai ser tão disputada como a do ano passado. Quando o Suns jogar seu melhor basquete, o Lakers pode não ser páreo.