jump to navigation

Phoenix e Leandrinho avançam maio 3, 2007

Posted by Adriano Albuquerque in curiosidades, Denver Nuggets, fotos, Los Angeles Lakers, Phoenix Suns, primeira rodada, San Antonio Spurs.
2 comments

O Suns derrotou o Lakers por 119 a 110 agora há pouco e se classificou à segunda fase dos playoffs. Nas semifinais de conferência, será Suns x Spurs, o terceiro colocado do Oeste que também terminou com sua série contra o Denver Nuggets hoje.

Agora a pergunta é: será que o Suns está pronto para vencer o Spurs? O time parece um pouco melhorado na meia-quadra, mas San Antonio dominou Denver após o primeiro jogo – eles não sofreram mais de 100 pontos em nenhuma partida, jogando contra um ataque que passou de 100 pontos 56 vezes na temporada. Teremos duas finais antecipadas nas semifinais – Detroit x Chicago e Phoenix x San Antonio. Vai ser bom de se ver.

Se os links funcionarem e as emissoras cooperarem, né!

“Aí, ô da pipoca, me vê um saquinho de 2 real ae!”

“Eu quero o baldão de frango. Não, de pipoca não, o de frango. Frango frito!! Isso. Valeu!”

Olha o tocão do Camby, parece que foi limpinho e bonitão, né? Mas aí depois…

… Olha a cara de pau dele de puxar a camisa do Duncan embaixo!!

“É isso aí, galera, eu sou gordinho, rico e posso pagar pra sentar aqui na beira da quadra, irado! Valeu pelos aplausos!”

Kobe: “Seu filho da p…, você ganhou dessa vez, mas no ano que vem eu vou te dar uma banda, fica ligado, seu piolho mané…” Raja: “Ah, você pode ir tomar no …, seu zé ruela, a gente arregaçou vocês…”

Essa não tem nada a ver com a NBA, é só porque eu achei essa idéia do jogo em duas superfícies muito maneira. As coisas que os caras inventam… E mesmo sendo só uma exibição de brincadeira, os dois se dedicaram e jogaram pra vencer mesmo! Impressionante.

Aliás, isso me lembra deste link aqui: Michael Jordan e Tiger Woods jogando golfes juntos em um torneio amador. E como sempre, MJ com suas famosas provocações.

Fotos: Alissa Hollimon, D. Clarke Evans, Barry Gossage, Jaime Reina/NBAE/AFP/GettyImages/NBA.com/Yahoo.com

Triste ironia maio 2, 2007

Posted by Adriano Albuquerque in Denver Nuggets, San Antonio Spurs.
add a comment

Justamente no dia em que eu falo do programa e de como assistir aos jogos na internet, o programa falha e não conecta nenhum dos canais, me deixando na mão para assistir aos jogos!

O Spurs derrotou o Nuggets por 93 a 78 e eliminou o time do brazuca Nenê, e temos o primeiro classificado do Oeste após três varridas no Leste. Como não consegui assistir ao jogo por causa desse contratempo, não tenho como comentar sobre a partida, mas aparentemente o Michael Finley jogou muito e o Nenê acabou vítima de suas faltas. De qualquer forma, o Spurs segue como um favorito muito forte ao título da NBA.

J.R. Smith em crise no Nuggets maio 2, 2007

Posted by ricardo14 in Denver Nuggets, playoffs.
add a comment


O armador reserva do Nuggets e companheiro de time do pivô brasileiro Nenê, J.R. Smith, recebeu uma notícia ruim nesta terça feira. Segundo o técnico do Nuggets, George Karl, a temporada acabou para o jogador.

A drástica decisão de Karl se deu na última segunda-feira, quando o Denver Nuggets perdeu jogando em casa para o San Antonio Spurs. Com 27s por jogar, J.R. Smith arremessou forçadamente uma bola de três, ao invés de passar para o armador Allen Iverson ou o ala Carmelo Anthony.

O técnico não gostou nada do excesso de confiança do jogador e pretende agora utilizar jogadores que até então vinham sendo pouco utilizados.

O armador havia recentemente comentado sobre uma possível extensão contratual.   O técnico do Nuggets ainda afirmou ver Smith como um jogador que tem seus bons momentos, mas também alguns ruins.

Boa notícia para o armador veterano Anthony Carter e o armador novato Yakhouba Diawara, que podem estrear na serie melhor-de-sete com o Spurs hoje `a noite.

Considerações para hoje à noite maio 1, 2007

Posted by Adriano Albuquerque in Dallas Mavericks, Denver Nuggets, Golden State Warriors, New Jersey Nets, primeira rodada, San Antonio Spurs, Toronto Raptors.
add a comment

Primeiro, começo dizendo que o San Antonio Spurs mostrou porque foi campeão duas vezes nos últimos quatro anos e porque ainda é um dos favoritos ao título neste ano. O time permaneceu no jogo contra Denver, nunca deixando a diferença ir além de 10 pontos, e simplesmente elevou seu jogo em ambos os lados no quarto final. A vitória por 96 a 89 foi o resumo perfeito de como se jogar na estrada contra um adversário que tem uma torcida barulhenta: jogue sério e bem fechado, não deixe o placar ficar muito elástico e principalmente, não deixe as grandes jogadas acontecerem, pois elas puxam a torcida e empolgam o time. O Spurs foi quase perfeito em seu approach metódico e a torcida do Nuggets, embora tenha gritado um bocado, nunca influenciou o jogo. É nesse momento que você nota a importância da experiência nos playoffs: o Spurs já esteve em arenas barulhentas o suficiente para saber jogar contra boas torcidas. Se você tem dúvidas disso, é só lembrar as séries contra o Phoenix Suns e Detroit Pistons nos playoffs de 2005 e contra o Sacramento Kings no ano passado – três das melhores torcidas da NBA, e o time conquistou vitórias decisivas fora de casa nas três séries.

E isso me leva aos dois jogos de hoje: Toronto Raptors recebe o New Jersey Nets em casa tentando evitar a eliminação, e o Dallas Mavericks faz o mesmo contra o Golden State Warriors.

Toronto é outro time com uma das melhores torcidas da liga, que canta durante tempos e lembra torcidas européias exatamente por sua cantoria e por não apenas seguir instruções do telão ou do locutor do ginásio. Porém, o Nets é experientíssimo e sabe muito bem jogar nessas condições. Pelo menos, Jason Kidd e Richard Jefferson sabem – Vince Carter teve atuações irregulares nos dois primeiros jogos, com toda a torcida vaiando-o sempre que tocava a bola. Embora essa série não possa mais ser a varrida como aconteceu nas outras três séries do Leste, tem a chance de acabar em apenas cinco jogos, o que já é bem próximo de uma varrida. Eu acredito que veremos um jogo parecido com o jogo 2, bastante equilibrado, e no final vai depender de quem tiver mais sangue frio. New Jersey certamente quer definir a série logo, pois seu time é mais velho que o Cavaliers e não pode ficar muito mais cansado se quiser ter chances de batê-lo nas semifinais de conferência.

O Mavericks, por sua vez, tem suas dificuldades em enfrentar torcidas fortes. É claro, qualquer um teria dificuldades em enfrentar a torcida de Golden State, a melhor dos playoffs até o momento. No ano passado, o time abriu 20 pontos contra o Spurs no jogo 7 das semifinais de conferência e sobreviveu à torcida e à reação graças à excelente jogada de Dirk Nowitzki no final do tempo regulamentar, sofrendo a falta besta de Ginóbili, que tirou a moral do San Antonio e ajudou a acalmar o time. Mas não foi uma atuação de um time que sabe neutralizar torcidas adversárias.

No domingo, o Mavericks deveria ter vencido o Warriors. Dallas enfim conseguiu jogar de igual para igual, dominando o tempo do jogo como queria, e seus jogadores conseguiram ser eficazes nos dois lados da bola. Foi a torcida, a insistência de Baron Davis, a defesa e, talvez mais do que tudo, a sorte que deu o empurrãozinho ao Warriors para vencer o jogo. Hoje, em casa, sem torcida adversária, o Mavericks deve ter uma atuação bem melhor e vencer. A não ser que tudo esteja caindo novamente para Golden State, como no jogo 1, e sua defesa consiga parar tudo, parece para mim que Dallas já sabe como derrotar o rival. Pelo menos, em casa.

O problema para o Mavs, claro, é que mesmo que ganhe hoje, ainda teria de ganhar uma em Oakland na quinta-feira, e aí é que Dallas teria de estudar os teipes dos dois jogos do Spurs em Denver e dos jogos do Nets em Toronto. Afinal, se o time tivesse se esforçado para evitar jogadas como aquela cesta do meio da quadra feita pelo Davis no final do primeiro tempo, teria uma chance muito maior de vencer.

Mesmo sabendo que tem um sexto jogador poderoso em casa para um sexto jogo, o Warriors tem de jogar o máximo que pode nesta terça. Você não quer dar uma chance de respirar a um time como Dallas, primeiro colocado do Oeste e vice-campeão da NBA. O Miami Heat e o Phoenix Suns do ano passado são os exemplos: quando se lembraram de quão bons podiam ser, reagiram e viraram suas séries, contra Mavs e Lakers, respectivamente. Se o Warriors permitir que Dallas tire a pulga de trás da orelha, mesmo a torcida em casa pode não ser suficiente.

J.R. Smith interessado em extensão contratual maio 1, 2007

Posted by ricardo14 in Denver Nuggets.
add a comment

 O armador reserva do Denver Nuggets, J.R. Smith afirmou estar interessado em uma possível renovação contratual por um longo período.

“Gostaria de realizar essa extensão, mas não quero apressar nada.” afirmou Smith, em entrevista ao “Rocky Mountain News“, jornal local de Denver, Colorado.

Apesar das constantes lesões do jogador, o técnico George Karl afirmou que interessa ao time ter o atleta por um longo prazo.

“Seria interessante. Não diria que não existe a possibilidade.” afirmou Karl, que demonstra acreditar na evolução do jogador.

O jogador ainda tem contrato com o Denver para a próxima temporada em um valor de aproximadamente $2.14 milhões, mas o time tem entre 11 de julho e 31 de outubro para negociar uma extensão valida a partir da temporada de 08′-09′.

O Nuggets, entretanto, deve esperar até 2008, quando Smith se tornara um agente livre restrito. O time do Colorado usara esse tempo para avaliar o jogador e as futuras contribuições que pode trazer.
 act_jr_smith.jpg J.R. Smith

Denver x San Antonio rolando maio 1, 2007

Posted by Adriano Albuquerque in Cleveland Cavaliers, Denver Nuggets, Houston Rockets, New Jersey Nets, primeira rodada, Toronto Raptors, Utah Jazz, Washington Wizards.
1 comment so far

Dois jogos já terminados nesta segunda: Cleveland 97 x 90 Washington – assim o Cavs varreu o Wizards e seguiu à segunda rodada – e Houston 96 x 92 Utah.

– Foi um bom jogo entre Utah e Houston. Espero que o Dirk Nowitzki tenha visto bem o jogo e visto o que o Tracy McGrady fez: não teve medo de colocar a bola no chão e entrar no garrafão, indo pra finalização. Quando vinha a marcação, passe pra fora, e deu no que deu: 16 assistências, recorde pessoal nos playoffs.

Agora, o que eu não entendi foi o final de jogo do Utah. Com 11s no relógio, o placar estava definido e o Jazz teve a lateral no lado direito da quadra. Passaram para o Matt Harpring, que estava quente no último quarto, e ele foi bloqueado; recuperou a bola e chutou de novo. Yao Ming pegou o rebote com mais ou menos 4s restando. Só que Utah não fez falta! Carlos Boozer e um outro companheiro que não reconheci – acho que era o Derek Fisher – primeiro abaixaram os braços e respiraram, depois olharam para Yao, depois encostaram em Yao meio que dizendo um pro outro, “Vamos fazer falta pelo menos” e ao mesmo tempo meio que tiraram os braços pensando, “Mas acho queo árbitro nem está mais vendo, já deve ter acabado”, e só aí tocou a sirene. A reação do Boozer foi a mesma de todos os torcedores do Jazz: colocou os braços sobre a cabeça e fechou os olhos com uma expressão de “não acredito que isso acabou de acontecer”.

– Não vi os últimos minutos de Cavs x Wizards, mas pelo que vi, até a primeira metade do último quarto, era a mesma coisa de todo o resto da série: Washington lutando e conseguindo uma minúscula vantagem por boa parte do jogo, mas o Cavaliers ligando o motor quando precisava no final para vencer. Existe uma teoria que Cleveland quer copiar o Detroit Pistons em diversos aspectos, por causa do proprietário Dan Gilbert, que tem sua base empresarial lá. Esse hábito de jogar meia-bomba, administrando o jogo contra adversários piores, é típico do Pistons. Para sorte do Cavs, qualquer que seja o próximo adversário, será também abaixo de seu nível e o time não terá de fazer um ajuste enorme – embora tenha de aumentar a intensidade para enfrentar a experiência do Nets.

Tem que ser notado que o Larry Hughes manteve o bom nível dos primeiros jogos da série e parece ter se encontrado como armador e principal criador do Cavs. O Zydrunas Ilgauskas também teve uma boa atuação hoje e isso vai ser importante para a série contra o Nets, que tem um jogo de garrafão que está fazendo um trabalho decente contra o Chris Bosh.

Panorama do sábado abril 29, 2007

Posted by Adriano Albuquerque in Cleveland Cavaliers, Denver Nuggets, Detroit Pistons, Houston Rockets, Nenê, primeira rodada, San Antonio Spurs, Utah Jazz, Washington Wizards.
add a comment

Mais um dia de playoffs na NBA concluído. Eis a situação de cada série:

LESTE – Detroit 4 x 0 Orlando (Detroit avança); Cleveland 3 x 0 Washington; Toronto 1 x 2 New Jersey; Miami 0 x 3 Chicago

OESTE – Dallas 1 x 2 Golden State; Phoenix 2 x 1 Los Angeles; San Antonio 2 x1 Denver; Utah 2 x 2 Houston

– Detroit teve um pouco mais de dificuldades hoje, mas nada demais e que seus jogadores já não estejam acostumados. O Pistons esteve no comando pela maior parte da partida novamente e conseguiu uma importante varrida contra o Magic, já que a série entre Miami e Chicago pode acabar antecipadamente neste domingo. Se não acabar (e eu acho que não acaba, o Heat vai ter de jogar melhor do que vem jogando e não vai querer sair humilhado deste jeito), o time obtém um descanso muito necessário para pegar um dos dois rivais mais tarde. A torcida do Detroit é que a série se prolongue, para que o time possa realmente aproveitar a vantagem do descanso extra e também do tempo extra de preparação. A última vez que o Pistons varreu uma série de playoffs, foi campeão… Será que acontece de novo?

– Tudo está sob o controle do Cavs na série contra o Wizards. Washington é bastante esforçado e brigador, e Antawn Jamison está provando seu valor, mas Cleveland está completo e LeBron James ainda não está nem jogando em 100% de capacidade. Outro time que pode se beneficiar e muito de uma varrida, já que dará mais tempo para James se recuperar da torção no tornozelo. Do outro lado, Nets e Raptors estão em uma batalha emocional e uma vitória do Toronto fora de casa no domingo dá novos contornos dramáticos à disputa. O vencedor deverá estar gasto quando pegar Cleveland.

– San Antonio provou, mais uma vez, que é experiente e frio demais para se preocupar com os críticos que já apontavam sua possível eliminação contra Denver. Por mais que o Nuggets tenha lutado e se aproximado várias vezes, a vitória por 96 a 91 de hoje nunca esteve em xeque.

Se quiser vencer esta série, o Nuggets vai precisar de muito mais ajuda de seu banco e de muito mais atenção na defesa, principalmente nos rebotes defensivos. Nenê vem jogando bem ofensivamente e na marcação homem-a-homem, mas seu posicionamento e disposição na tábua defensiva é triste. Por isso que mesmo jogadores menores do Spurs como Parker e Ginóbili conseguem entrar e buscar rebotes. E isso mata o jogo de transição da equipe. Se for jogar no ritmo cadenciado do Spurs, não vai dar para Denver.

– Como esperado, o Jazz devolveu as duas derrotas fora de casa para o Rockets e empatou a série com a vitória por 98 a 85 hoje – que foi muito mais lavada do que o placar indica. T-Mac voltou a sumir em momentos importantes do jogo, bem marcado, e Yao cometeu muitos erros no decisivo terceiro quarto.

Esta série está equilibrada, mas ainda não houve um jogo verdadeiramente equilibrado, decidido no finalzinho. Tomara que seja o caso dos próximos dois – com sorte, três – jogos. Os carregadores de piano e reservas do Rockets vão ter de começar a acertar a mão para liberar os espaços, mas mais importante ainda é que McGrady, que tanto falou que “desta vez, a responsabilidade é toda minha”, jogue como no segundo tempo do jogo 1 e no jogo 2, com postura de líder e atacando a cesta.

E é isso. Estou desconectando do chat. Quem quiser papear sobre os jogos de domingo, estarei online a partir de 18h. Abraço!

Sobre quarta à noite abril 26, 2007

Posted by Adriano Albuquerque in Cleveland Cavaliers, Dallas Mavericks, Denver Nuggets, Golden State Warriors, Nenê, primeira rodada, San Antonio Spurs, Washington Wizards.
add a comment

– O Denver Nuggets mostrou poder de reação contra o San Antonio Spurs, que vai precisar ficar muito ligado e jogar muito para recuperar essa vantagem no mando de quadra. Denver precisa jogar mais defesa como fez no último quarto e ser mais agressivo no ataque.

Não quero puxar a sardinha pro brazuca, mas o Nenê merece ser mais acionado no ataque do Nuggets. Ele não tem medo de encarar o Tim Duncan e se saiu bem contra ele ontem. Além disso, ele foi marcado a maior parte do tempo pelo Fabrício Oberto, que não tem a menor condição de pará-lo. Ele podia defender mais o Duncan também.

– O Cavaliers está jogando de brincadeira com o Wizards. Podia muito bem ter disparado no placar ontem. Agora, a performance do Drew Gooden provou que o Mike Brown poderia ser mais criativo nos seus esquemas ofensivos e explorar outras opções sem ser o LeBron James. Gooden era bom no ataque na faculdade e na primeira temporada dele, que ele passou entre Memphis e Orlando. Eu nunca entendi por que ele ficou com um papel tão reduzido quando foi pra Cleveland.

– Se Baron Davis e Stephen Jackson não forem suspensos pelas expulsões de ontem, o Dallas Mavericks vai penar contra o Golden State Warriors nos próximos dois jogos. O Dirk Nowitzki não está jogando à altura do prêmio de MVP que provavelmente vai receber, e se não aparecer logo o Mavs pode dar adeus mais cedo.

Que dia! abril 23, 2007

Posted by Adriano Albuquerque in Dallas Mavericks, Denver Nuggets, Golden State Warriors, primeira rodada, San Antonio Spurs.
add a comment

Domingo foi um ótimo dia de ação nos playoffs. Pros brasileiros, foi melhor ainda: todos eles tiveram dígitos duplos em alguma categoria estatística – sendo que o Nenê foi em duas! – e tiveram papel decisivo nas vitórias de seus times. E pra fechar tudo, o Golden State Warriors venceu o Dallas Mavericks no primeiro jogo e deixou todo mundo com uma pulga atrás da orelha: o Warriors é realmente a pedra no sapato do Mavs e não vai perder?

O Leandrinho foi o melhor brasileiro do dia, mas o melhor jogador da primeira rodada dos playoffs foi o Baron Davis. O cara simplesmente cresce pra esses jogos; lembram dos dias de Charlotte Hornets, quando ele carregou o time depois que o Jamal Mashburnficou de fora dos playoffs por causa de lesão? Ele levou o Hornets à vitória sobre o Orlando Magic do T-Mac e quase derrotou o Jason Kidd e o Nets também. Bom, no domingo o cara fez 33 pontos, 14 rebotes, 8 assistências, 3 roubos e 1 toco.  Dominou completamente a defesa do Mavs e fez cesta importante atrás de cesta importante. Baron, mandou bem.

Foto: Glenn James/NBAE/GettyImages/NBA.com

Fica a dúvida agora, então: será que o pupilo (Avery Johnson e o Mavs) consegue bater o mestre (Don Nelson)? Eu acho que sim. O Warriors teve de jogar no máximo de suas capacidades e o Mavs podia estar precisando de alguma coisa pra acordar. O Avery com certeza vai sacudir o time e exigir mais imposiçãono próximo jogo.

O Nenê fez um ótimo trabalho no jogo dele, marcou Tim Duncan mais do que eu esperava e não teve medo de ir pro ataque. Em cima do Duncan, ele conseguiu impor a força física e tirá-lo dos blocos baixos. E ainda fez essa enterrada no primeiro quarto, ó:

Foto: Eric Gay/AP/ESPN.com

Eu postei a foto da homenagem do Antawn Jamison às vítimas de Virginia Tech mais cedo… O Iverson também homenageou as vítimas com uma estampa em sua “braçadeira”:

Foto: Garrett Ellwood/NBAE/Getty Images/NBA.com

Não é todo jogo que o Nuggets vai conseguir segurar o Duncan e o Ginóbili desse jeito. O Spurs ainda é o favorito nessa, mas Denver entende o que tem de fazer e vai dar trabalho. Isso não vai ser um simples 4 a 1 que nem em 2005… Pelo menos, não parece que seja.